Vídeo
0

Essa guerra não é de autoridades contra traficantes e inocentes


Essa guerra é um bom plano de marketing da indústria bélica, das fornecedoras e fabricantes de armas que se valem dessa terra de ninguém para vender para os dois lados. Esse poderio percorre todos os países que disseminam ódio e disputam territórios.

Sinto muita falta de discussões que realmente atinjam o cerne dessa questão. E não ficar condenando o fim desse ciclo. Sempre ouvi o absurdo autoritário afirmar: não vamos recuar para esses marginais, vamos “combater” o tráfico. Isso significa a “deixa justificada” para o aval que um governo acuado e vendido tem para gastar trilhões, arrecadado em nossos impostos, com reforço dos batalhões, com a segurança pública, comprando e adquirindo novas armas, mais potentes do que as que estão em poder dos traficantes. Não há nenhuma inteligência nisso. É só negócio, mercado e de novo: capitalismo cruel.

Não leva em consideração que ali há civis inocentes e por mais que o tráfico possua armas de grande porte. Elas não pousaram lá sozinhas. Passaram pela fronteira das nossas Forças Armadas, de todas outras alçadas federais e estaduais e chegaram às favelas. Isso, quando não chegam nem a fazer esse percurso todo. Haja visto, que nossa economia é tão generosa, que o Brasil já é o quarto maior distribuidor de armas para os EUA.

A empresa Forjas Taurus é a quarta maior distribuidora de armas no país da National Rifle Association, competindo com gigantes como Smith&Wesson. “Um em cada cinco revólveres comprados por americanos em 2012 veio da fabricante brasileira, que hoje vende mais nos EUA do que no próprio Brasil”, diz essa reportagem publicada no Estadão.

Essas ações não são frutos de indignação acaloradas, muito menos combatidas e que dirá investigadas. Não há quem aborde ou até fale em investigar isso. Como conseguimos nos sentir no direito de defender um lado ou outro desse universo tacanho?

Ser jornalista no Brasil atual me deixa muito feliz e mais ainda por não ser aproveitado por em nenhuma redação. Sonho mesmo com o dia em que as nossas reportagens tragam fatos relevantes e inteligentes. Como por exemplo, o controle de toda a fronteira e aeroportos e portos brasileiros. Transparência e fiscalização na venda de armas no mercado negro. Toda essa tecnologia tão admirada e que hoje é brincadeira de criança fosse realmente utilizada em prol de um mundo realmente mais seguro e pacífico. Sonhar por um país menos violento e despertar de vez desse pesadelo onde o dinheiro dissemina guerras. Ninguém é perfeito, logo não precisamos nos ferir por isso.

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s